Histórico

Criado em dezembro de 1999, o G2 Cia. de Dança é formado por bailarinos que atuaram no Balé Teatro Guaíra e hoje unem técnica e maturidade artística na busca de novos rumos e estéticas na linguagem da dança contemporânea. Além de bailarinos, são também “intérpretes criadores”, seguindo uma linha de trabalho criado pela ex-diretora do BTG Carla Reinecke.

 

O espetáculo que lançou o G2 contou com a participação dos coreógrafos convidados Adriana Grechi (Instável Sonata) e Tuca Pinheiro (Pare! Pense! Faça Alguma Coisa!...). Na montagem seguinte foram acrescidos ao repertório Hysteria, de Júlio Mota, interpretada pela bailarina Carla D'Almeida, que recebeu o prêmio de Melhor Intérprete no Festival de Dança de Sttutgart, (Alemanha) por sua atuação neste solo, e ainda a coreografia rezooltado@g2.com.sensu.uau, criação coletiva dos bailarinos.

Bailarinos do G2 formam a sigla do grupo com o corpo, deitados no chão
Bailarinos do G2

 

 

G2 apresenta a coreografia O Tombo
G2 apresenta a coreografia O Tombo

Em 2000, a originalidade e a qualidade da proposta do trabalho valeu ao G2 o Prêmio Estímulo da APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte) por suas apresentações no Centro Cultural São Paulo. No ano seguinte, o grupo estreou ...de Passagem e 1 Corpo 4 Estudos.

Em 2002, a companhia apresentou O Tombo, coreografia de Júlio Mota que une dança, canto e técnica de escalada, num espetáculo que investiga o desequilíbrio das situações e dos movimentos. Apresentada em cidades do interior do Paraná e em Puerto Iguazu, Argentina, na abertura do Festival das Três Fronteiras, a coreografia se transformou em um dos maiores sucessos do G2.

 

 

Em 2003, o grupo apresentou O Vôo do Poeta, de Pedro Pires e em 2004, surgem duas novas coreografias Ritmove, de Júlio Mota e Solilóquio (preciso escrever uma carta), de Tuca Pinheiro. Para 2006 um novo espetáculo foi criado: Um Dia fora do Tempo, sob a direção de Maurício Vogue. Em 2007 foram apresentadas as coreografias “Leggo” de Júlio Mota e “Espécie em Extinção” coreografia da Jane Comfort resultado de um projeto de intercâmbio cultural chamado “Performance Americas".

 

Em 2008 surge o projeto Vitrine, criado por Rosemeri Rocha, e "Tudo Porque Chorei". No ano seguinte o G2 celebrou uma década de existência, se consolidando como a única companhia de bailarinos master do Brasil. Para marcar a data, o grupo apresenta “Faces” e “Portfólio”. Este último lança um olhar sobre o passado ao mesmo tempo que abre futuras possibilidades de projetos.

Trecho de Vitrine (2008)
Trecho de Vitrine (2008)

 

 

Cena de Blow Elliot Benjamin
Cena de Blow Elliot Benjamin

Em 2011, o G2 inicia uma parceria bem-sucedida com Cleide Piasecki, que cria os espetáculos Blow Elliot Benjamin e La Cena (2016)para o grupo, dois grandes sucessos de público e crítica. No enredo de Blow, 3 histórias que interligadas compõem uma lenda urbana que retrata momentos e reviravoltas da vida de pessoas comuns com histórias incomuns.

 

Já La Cena conta a história de um grupo de empregados contratados para trabalhar na mansão do Sr. Stahlbaum, na preparação da festa de fim de ano, um momento que antecede a narrativa de O Quebra Nozes. Após alguns incidentes no local de trabalho, todos mergulham em um sono profundo o que desperta os desejos mais secretos e inconfessáveis pesadelos.

 

Em 2019, para celebrar duas décadas de existência, o G2 fez uma grande turnê por capitais das regiões Sudeste e Nordeste, passando por locais como Natal, Recife e Vitória. No ano anterior, o grupo já havia feito apresentações do espetáculo La Cena em nove cidades paranaenses entre maio e julho.