Bale Teatro Guaíra faz apresentação especial para estudantes

Data 14/04/2015 | Assunto: Destaques

Durante dois dias, 16 e 17 de abril às 15 horas, o Balé Teatro Guaíra vai apresentar o espetáculo “Cinderela” para mais de 4 mil alunos da rede pública municipal e estadual.
“Cinderela” estreou no ano passado em comemoração aos 45 anos da companhia. Baseado no tradicional conto dos Irmãos Grimm, com coreografia criada pelo espanhol Gustavo Ramirez Sansano, o balé é ambientado entre o final da década de 50 e o início dos anos 60. A história antiga da mocinha que busca seu “príncipe encantado” é remodelada no espetáculo, e ele aparece como um jovem rico que busca a sua “cara metade” através de anúncio na televisão.

É um espetáculo moderno, contemporâneo e que tem interação direta com o público. Em certo momento o jovem milionário, o príncipe, desce do palco e anda pelos corredores da plateia buscando no público a sua amada. A cena é assistida, ao vivo, pela madrasta e pelas irmãs más, em uma grande televisão, que mede 5 metros e ocupa parte do palco, e integra o cenário idealizado pelo também espanhol Luis Crespo. Para reforçar a ambientação da montagem, os figurinos também modernos, criados pelo premiado brasileiro Gelson Amaral, são resultado de sua pesquisa em filmes e revistas dos anos 60.

Balé Teatro Guaíra - Criado em 1969, o Balé Teatro Guaíra (BTG) teve diretores e coreógrafos de renome internacional em seu percurso, e acumulou mais de 130 coreografias realizadas. Seus primeiros diretores, Ceme Jambay, Yara de Cunto, Yurek Shablewski, Hugo Delavalle e Eric Waldo foram responsáveis pelos primeiros passos da Companhia que se tornou um grande marco na história da dança no país.

Nomes como John Butler, Milko Sparembleck, Vasco Wellemkemp, Olga Roriz, Maurice Bejárt, Ana Mondini, Luis Arrieta, Henning Paar, Julio Mota, Tíndaro Silvano, Márcia Haydée, Ana Vitória, Eduardo Ibañez, Andréa Lerner, Rosane Chameki, Roseli Rodrigues, Suzana Braga, Rodrigo Pederneiras, Henrique Rodovalho, Felix Landerer, David Zambrano, Luiz Fernando Bongiovanni, Rui Moreira e Carmen Jorge, deixaram contribuições significativas para o Balé Teatro Guaíra.

Grandes espetáculos entraram para a história através de profissionais de renome, a maioria com participação da Orquestra Sinfônica do Paraná. Entre eles, O Grande Circo Místico, inspirado no poema de Jorge de Lima, com música especialmente composta por Edu Lobo e Chico Buarque, obra que trouxe reconhecimento internacional para a Companhia - criado pelo coreógrafo português Carlos Trincheiras, que assumiu a direção do grupo paranaense de dança em 1979 e permaneceu até 1993. Outros espetáculos: Coppéllius, o Mago, versão da obra Copélia, criada por Márcia Haydée; “Lendas das Cataratas do Iguaçu” que comemorou os 40 anos do BTG, com coreografia assinada pelo paulista Rui Moreira, baseada em partitura musical do compositor Jaime Zenamon, escrita especialmente para a dança; Pastoral (Beethoven) de Milko Sparemblek e Exultate Jubilate (Mozart) de Vasco Wellenkamp; Espaços de Henrique Rodovalho; O Quebra-Nozes, com coreografia e direção de Carla Reinecke; A Sagração da Primavera (Le Sacre du Printemps), trabalho realizado pela coreógrafa portuguesa Olga Roriz, estreou em 2012 e foi apresentada também na Bienal Internacional de Dança do Ceará e no Festival Internacional de Dança do Recife, no mesmo ano; O Segundo Sopro, de Roseli Rodrigues, que também ficou conhecido como o “Balé das Águas”, porque os bailarinos dançam sobre um espelho de água; “Romeu e Julieta” de Luiz Fernando Bongiovanni.

Outros projetos – o Atelier Coreográfico foi criado com o objetivo de desenvolver o potencial criativo dos bailarinos e servir como celeiro para futuros coreógrafos. Eles foram responsável pelas próprias coreografias, montagens e apresentação.

Atualmente sob direção de Cintia Napoli, bailarinos ocupam outros espaços para dançar, não somente o palco. Com a criação de Experiência Urbana, a dança tomou outros rumos e invadiu espaços públicos, ruas e logradouros e praças com coreografias dos próprios bailarinos. Esse trabalho que constantemente se renova já foi apresentado em Curitiba, várias cidades do interior, e também em outros estados.

Serviço:
“Cinderela” - Balé Teatro Guaíra
Dias 16 e 17 de abril às 15 horas
Convite dirigido




Está notícia foi publicada no Centro Cultural Teatro Guaíra http://www.teatroguaira.pr.gov.br

Endereço desta notícia:
http://www.teatroguaira.pr.gov.br/modules/noticias/article.php?storyid=1492