• Locação
  • Parceiros
  • Vídeo Institucional

Notícias

Projeto aborda a desumanização do corpo e a influência da tecnologia na maneira de as pessoas verem o mundo

De 16 a 25 de agosto, a coreógrafa Michelle Moura e o performer Maikon K apresentam Enquanto Somos Humanos, resultado de projeto contemplado pelo Rumos Itaú Cultural 2017-2018. O projeto é composto por espetáculo de dança, oficina e mesa redonda relacionados à arte, tecnologia e consciência. Na dramaturgia são abordados temas como automatismo, modos programados de responder às coisas, emoções, sexualidade, controle e vigilância.

Ingressos aqui

Em um espaço preparado, dois corpos experimentam um ao outro e as coisas ao seu redor, em uma jornada de aprendizado e erro, normalidade e estranhamento. Em um laboratório ou sala de testes, imagens se montam e desmontam. Emoções congelam e se deformam, linguagens se cruzam em perturbação. A experimentação traduz uma análise comportamental, de manutenção da ordem, controle químico e estranhas simbioses.

Apesar de ser a primeira vez em que trabalham juntos, ambos os artistas investigam há anos temas como a alteração de consciência, os limites entre humano e não-humano, mitologias, construção de realidades e produção de sensações. Neste projeto, criam uma experiência em dança que questiona o espectro do que é ser humano.

De acordo com os artistas, em suas pesquisas de movimento, buscam formas de alterar a lógica cotidiana do corpo, gerando falhas de programação e leitura. Michelle acessa e compartilha diferentes estados de consciência, por meio da dança, e se encontra com a busca de Maikon por um corpo xamânico, que dilui fronteiras entre humano e outras formas de vida. O desafio do projeto é liberar as diferenças para manter a diversidade, sem homogeneizar tudo em um só tipo de linguagem. Como são dois artistas que têm uma série de trabalhos solo, querem descobrir novos modos de criação em parceria, construindo uma obra que só é possível a partir desse encontro.

O espetáculo conta com trilha original e design de som que dão ênfase à captação e modulação das vozes dos artistas em tempo real. Criadas pelo dinamarquês Kaj Duncan David, músico que trabalha com a relação entre imagem e som, uma parte de suas composições são pensadas como ações performáticas. O cenógrafo Fernando Marés projetou o espaço como algo modulável e sujeito a mudanças e os objetos como extensões e evoluções de nossos corpos e anatomias. O público experimenta uma relação de proximidade com os artistas.

Nadja Naira cria o design de luz, gerando atmosferas e espacialidades. Faetusa Tezelli assina o figurino, pensando em geometrias, volumes e a construção de uma identidade contemporânea difusa, que não se encaixa em uma estética única para fundir pedaços e códigos culturais diversos. Outro colaborador é Alex Cassal, na consultoria de dramaturgia. Michelle e Maikon fizeram residência de uma semana com o coreógrafo Alejandro Ahmed e uma vivência com o xamã Rudá Iandé.

Programação
As apresentações abertas ao público, em agosto, acontecem entre 16 e 18 e 23 e 25, sempre às 20h, no Teatro José Maria Santos, em Curitiba (PR). Nos dias 15 e 22, o espetáculo é direcionado aos alunos do CEEBJA Professora Maria Deon de Lira e do curso Técnico em Produção Cênica da Universidade Federal do Paraná.

No dia 21, às 19h, estudiosos de diversas áreas participam da mesa redonda Ser humano: que ficção é essa? para discutir consciência e tecnologia. São eles: Bianca Zadrozny, da IBM Research - Inteligência Artificial; Eduardo Ekman Schenberg, neurocientista estudioso de substâncias psicodélicas; o xamã curitibano Rudá Iandé e Tarcízio Silva, doutorando da Universidade Federal do ABC (UFABC – Desinteligência Artificial). A mediação é de Verônica Calazans, doutora em Filosofia da Ciência pela Universidade Tecnológica Federal do Paraná.

Nos dias 22 e 23, o músico dinamarquês Kaj Duncan David comanda, no SESC Paço da Liberdade, o workshop Computer Music, sobre marcas gráficas de animação Max MSP e performance experimental de multimídia com computadores.

Ficha técnica
Criação e performance: Michelle Moura e Maikon K
Som: Kaj Duncan David
Luz: Nadja Naira
Cenário: Fernando Marés
Figurino: Faetusa Tirzah
Consultoria em dramaturgia: Alex Cassal
Produção: Greice Barros (Núcleo Produções Cultura e Desenvolvimento)
Assistência de produção: Isabele Orengo e Janaína Micheluzzi
Acompanhamento de processo: Alejandro Ahmed e Rudá Iandé
Prática corporal: Mauro Zanatta
Design gráfico: Adriana Alegria
Direção de Imagem: Rosano Mauro Jr.
Fotografia: Murilo Lazarin
Assistência de Fotografia: Vitor Dias
Conteúdo de Mídias Sociais: Luisa Bonin (Platea Comunicação e Arte)
Realização: ICA – Associação Instituto Circo Artístico
Apoio: Rumos Itaú Cultural 2017-2018
 
Sobre o Rumos Itaú Cultural
Um dos maiores editais privados de financiamento de projetos culturais do país, o Programa Rumos, é realizado pelo Itaú Cultural desde 1997, fomentando a produção artística e cultural brasileira. A iniciativa recebeu mais de 64,6 mil inscrições desde a sua primeira edição, vindos de todos os estados do país e do exterior. Destes, foram contempladas mais de 1,4 mil propostas nas cinco regiões brasileiras, que receberam o apoio do instituto para o desenvolvimento dos projetos selecionados nas mais diversas áreas de expressão ou de pesquisa.

Os trabalhos resultantes da seleção de todas as edições foram vistos por mais de 6 milhões de pessoas em todo o país. Além disso, mais de mil emissoras de rádio e televisão parceiras divulgaram os trabalhos selecionados.

Nesta edição de 2017-2018, os 12.616 projetos inscritos foram examinados, em uma primeira fase seletiva, por uma comissão composta por 40 avaliadores contratados pelo instituto entre as mais diversas áreas de atuação e regiões do país. Em seguida, passaram por um profundo processo de avaliação e análise por uma Comissão de Seleção multidisciplinar, formada por 21 profissionais que se inter-relacionam com a cultura brasileira, incluindo gestores da própria instituição. Foram selecionados 109 projetos, contemplando todos os estados brasileiros.



SERVIÇO:
Rumos Itaú Cultural 2017-2018

Espetáculo Enquanto Somos Humanos
Dias 16, 17, 18, 23, 24 e 25 de agosto, de sexta a domingo, às 20h
Teatro José Maria Santos
Classificação indicativa: 16 anos
Ingressos: R$ 20 
www.ticketfacil.com.br


Mesa Ser humano: que ficção é essa?
Dia 21 de agosto
Às 19h
Local: Teatro José Maria Santos
Rua Treze de Maio, 655, são Francisco
Classificação indicativa: 14 anos
167 lugares
Entrada gratuita

Workshop Computer Music
Dias 22 e 23 de agosto
De 10h às 14h
Local: SESC Paço da Liberdade
Praça Generoso Marques, 189, Centro
Classificação indicativa: 18 anos
10 vagas
Entrada gratuita (inscrições: http://twixar.me/lQl1)
Recomendar esta notícia via e-mail:

Campos com (*) são obrigatórios.